Boa parte da atuação de nossos vereadores se concentra em apresentar propostas de leis ou ações para a câmara e para o poder executivo. Grosso modo, podemos observar a atuação deles em duas frentes:

  • uma legislativa focada na criação e alteração de leis municipais, abrangendo desde a criação de conselhos, passando pela denominação de ruas, até diretrizes para políticas municipais, como na criação do Plano de Mobilidade de Campina Grande, e

  • uma administrativa, que se concentra em fiscalizar e requisitar medidas aos órgãos da prefeitura – por exemplo, à Secretaria de Esporte e Juventude que crie uma academia em um bairro – ou ações interna da própria câmara, tais como votos de aplauso ou pesar.

Desde o início da atual legislatura, nossa câmara analisou mais de 10.000 proposições. A enorme maioria são atos administrativos:


Embora 10.000 proposições pareça um número alto, a câmara de João Pessoa, que tem apenas 4 vereadores a mais, analisou quase 30.000 proposições no mesmo período.

Sobre o que são as proposições?

As palavras mais frequentes nos títulos das propostas são bastante diferentes entre os atos legislativos e administrativos. Esses são os termos mais comuns nas propostas legislativas apresentadas desde 2013:

plot of chunk wordcloud_leg

A partir desses termos, conferimos que nas 1976 propostas legislativas votadas desde 2013 há:

  • 361 que denominam novas ruas e mais 68 que denominam outros equipamentos públicos,
  • 102 concessões de medalhas de honra e 132 propostas sobre a concessão de títulos de cidadão campinense.

As palavras mais frequentes nos títulos das propostas são diferentes entre os atos legislativos e administrativos. Esses são as palavras mais comuns para as propostas administrativas apresentadas desde 2013:

plot of chunk wordcloud_adm

Nessa nuvem vemos que ruas também são uma preocupação constante dos vereadores nas ações administrativas:

  • temos 1943 requerimentos envolvendo calçamento ou pavimentação,
  • há 197 pedidos de instalação de redutor de velocidade em Campina Grande

Das secretarias que receberam atenção nos 2025 pedidos dos vereadores feitos a secretarias da prefeitura, as mais populares são a STTP (941 requerimentos) e a Secretaria de Obras (948).

Por fim, há também nas requisições apresentadas 1380 votos ou moções de aplauso, congratulações ou pesar.

Comparativamente, temos 226 requisições com a palavra “Educação” e 347 que mencionam a palavra Saúde.

Quanto um vereador propõe?

A produção e a produtividade de nossos vereadores não é igual. Primeiro olhamos o total produzido ao longo dos quatro anos, independente do tempo passado na câmara pelos vereadores. Para a atividade legislativa, separamos as propostas entre aquelas que versam sobre nomes, medalhas e títulos (NMT) e as demais, provavelmente mais relevantes.

Eis o ranking de nossos vereadores pelo total produzido na atividade legislativa:

Alexandre do Sindicato é o vereador que mais apresentou propostas de leis exceto NMTs desde 2013. Pimentel Filho é o segundo colocado, sendo ao mesmo tempo campeão na categoria de denominações de ruas, medalhas e títulos de cidadão campinense.

Três vereadores apresentaram mais propostas NMT do que outros tipos de lei: João Dantas, Prof. Miguel Rodrigues e Alcindor Villarim. Este último tendo a maior diferença: 13 x 1.

Para propostas administrativas nosso ranking é diferente. Aqui também separamos as propostas entre as que são votos de aplauso ou moções de pesar e demais propostas administrativas:

Prof Miguel Rodrigues é o vereador que mais apresentou propostas administrativas, e também o que mais apresentou votos de aplauso e moções de pesar. Alexandre do Sindicato, Bruno Cunha Lima e Pimentel Filho estão entre os que mais produziram tanto legislativamente quanto administrativamente.

E se contarmos o tempo na câmara?

Como muitos vereadores suplentes assumiram desde 2013, temos vereadores que passaram períodos diferentes na câmara. Assim, é justo observarmos a produtividade de propostas/mês de nossos vereadores.

Abaixo analisamos a quantidade de propostas legislativas por mês dos vereadores, ignorando nomes, medalhes e títulos de cidadão. O tamanho do círculo reflete quantos meses o vereador atuou na câmara:


Há grupos de vereadores com atuação bastante diferente. Lourdes Costa e Rodolfo Rodrigues são dois vereadores que passaram bem pouco tempo na Câmara, mas produziram bastante. Alexandre do Sindicato, Bruno Cunha Lima e Pimentel Filho passaram dois anos ou mais, e apresentaram entre 3 e 4 propostas legislativas por mês. Em seguida, há um grupo de Inácio Falcão a Miguel da Construção que apresentou entre 1.6 e 2.3 medidas por mês.

Rodrigo Ramos, Ivan Batista, Buchada, Orlandino Dias, Galego do Leite e Ivonete Ludgerio são exemplos de vereadores que estiveram por pelo menos 30 meses ativos, mas que apresentam menos de uma proposta legislativa por mês (excluindo denominações, medalhas e títulos de cidadão).